O livro “A Obra da Salvação” da editora CPAD é lançado no culto da família na IEADJO sede | 107,5 FM Simplesmente Diferente

Antenado

O livro “A Obra da Salvação” da editora CPAD é lançado no culto da família na IEADJO sede

Publicado: setembro, 2017

O livro “A Obra da Salvação” da editora CPAD é lançado no culto da família na IEADJO sede

O escritor do livro a Obra da Salvação foi escrito pelo Pr. Claiton Pommerening e foi lançado oficialmente durante o culto da família com a presença do Pr. Presidente Sérgio Melfior e demais obreiros da IEADJO.

O pastor presidente Sérgio Melfior enalteceu a obra e seu autor como, um homem inteligente que coloca seu conhecimento a serviço do Reino de Deus.

Após 22 anos, a CPAD retorna com o tema sobre salvação nas Lições Bíblicas para adultos. A revista aborda a descrição das principais doutrinas da salvação sob a perspectiva pentecostal/arminiana e explica porque Jesus teve que assumir a forma humana. Mostra como Ele efetuou a obra de Salvação e sua abrangência e amplitude.

Como o cristão vive a graça de Deus. Como Deus permite o livre arbítrio. A operação da fé e do arrependimento. Estes são alguns pontos que abordados pelo comentarista Claiton Ivan Pommerening, que pela primeira vez assina como comentarista da revista Lições Bíblica de Adultos e também será a primeira vez como palestrante do Congresso Nacional da Escola Dominical. Ele é Doutor e mestre em Teologia pela Faculdades EST. Graduado em Teologia e Ciências Contábeis. Membro do RELEP – Rede Latino-americana de Estudos Pentecostais. Diretor e professor de Teologia na Faculdade Refidim/ CEEDUC (Joinville – SC). Editor da Azusa Revista de Estudos Pentecostais da Faculdade Refidim. Editor executivo da Revista REPAS da CPAD e pastor auxiliar na Assembleia de Deus em Joinville (SC).

Uma vez que a Reforma ocorreu quebrando a hegemonia do catolicismo, que ensinava uma salvação pelas obras, que dependia na época até mesmo da venda de indulgências, qual a importância do tema da Salvação ser frisado neste ano de comemorações dos 500 anos da Reforma?

Independente de momentos históricos a Doutrina da Salvação deve ser abordada, porque é a partir dela que o povo de Deus reafirma a sua fé no Salvador e sedimenta compreensões soteriológicas e, cristológicas que de outra forma seriam difíceis de assimilar. Essas compreensões têm a ver com a organização da vida em todos os seus segmentos e com a apropriação intelectual e afetiva da salvação que leva a novas dinâmicas positivas da vida. Além disso, neste momento histórico dos 500 anos vê-se a repetição de muitas coisas similares ao tempo da reforma; pois a Igreja sempre foi e será tentada a envolver-se na venda simbólica de bens religiosos. Neste sentido, vimos uma similaridade com a Reforma provocada pelas ideias do neopentecostalismo, que também negociam os bens religiosos com Deus como a venda de indulgências de então. Essas atitudes anulam a importância da graça e do sacrifício de Cristo na salvação. Estes são os motivos pelos quais neste momento de celebração relembramos o tema da Salvação.

A salvação unicamente pela graça, sendo justificação pela fé em Cristo, é um dos pilares principais da Reforma. O calvinismo acusa o pentecostalismo de ser “pelagiano”, pois a nossa matriz teológica é arminiana. Tal acusação obviamente não procede. Gostaria que o senhor falasse sobre isso.

O calvinismo tem feito um “cavalo de batalha” com os pentecostais, praticamente defendendo a ideia de que a única Teologia da qual Deus se agrada é o calvinismo. Sabemos que isso não é verdade e o estabelecimento de diálogos construtivos sempre será bem-vindo, mas como não é possível estabelecer diálogo com quem se julga inteiramente correto em sua doutrina, precisamos fazer nosso povo pentecostal entender quais as motivações e perigos desta Teologia. O pentecostalismo, especialmente das Assembleias de Deus, adota a doutrina arminiana, que é o equilíbrio entre o calvinismo, que prega que a decisão para a salvação é unicamente operada por Deus e o pelagianismo que coloca este peso decisório inteiramente na pessoa, ambas as crenças são, em certo sentido monergistas, ou seja, a decisão parte apenas de um lado. O arminianismo adota o sinergismo nesta decisão, onde Deus quer a Salvação de todos e opera neste sentido com seu Espírito Santo e o livre arbítrio humano que toma a decisão de tomar posse deste presente.

No pelagianismo o ser humano pode caminhar na direção de Deus por sua vontade, enquanto que no arminianismo o sujeito precisa anteriormente da obra do Espírito Santo em sua vida, caso contrário não surgirá a fé para a salvação, mas este, ainda precisa, por decisão própria, aceitar essa graça, enquanto que para os Calvinistas essa graça é irresistível em relação aos eleitos.

Segundo Claiton Pommerening a  CPAD hoje é a maior editora evangélica da América Latina e por isso, essa parceria toma uma dimensão enorme para mim; e me sinto feliz por poder contribuir com aquilo que Deus me deu para o povo de minha igreja, a qual estimo muito. Eu sempre admirei e gostei das Lições da CPAD e tive minha fé, em grande parte, construída na ED, mas nunca nem mesmo sonhei em escrever uma Lição para a CPAD, entretanto, pela bondade de Deus recebi o primeiro convite da Casa escrevendo a Lição de Isaías e o livro texto para jovens e agora me sinto honrando de estar no meio de grandes referenciais das ADs que me trazem uma grande responsabilidade e peso, pois tenho nos ombros a responsabilidade por trilhar caminhos por onde passaram e passam pessoas que ajudaram a construir a história da nossa igreja.

Comentários no Facebook